Categoria

Contato

Olá, então, curtiu nosso conteúdo? Tem uma sugestão para nos dar? Quer fazer um elogio à nossa equipe ou simplismente deseja entrar em contato com a gente? Fique a vontade.






    Mensagem enviada com sucesso!

    • SHARE

    Por Marketing

    Finanças

    Saiba o que realmente impacta o consumo de combustível do carro4 min read

    Tempo Icone
    Tempo de leitura - 04:00

    A manutenção de um veículo envolve diferentes fatores, que interferem no orçamento do motorista. Impostos, revisões periódicas, seguro, estacionamento e consumo de combustível são alguns dos principais itens. Na visão da consultora financeira Marcia Dessen, ouvida em reportagem do jornal O Estado de São Paulo sobre o assunto, o montante anual dessas despesas chega a representar 40% do valor do carro.

     

    É lógico que tudo isso é super bem recompensado pela comodidade e a liberdade proporcionados por um carro, mas estratégias que permitam fazer economia são muito bem-vindas, sem a menor dúvida, ainda mais em se tratando do combustível, que é um dos quesitos que mais pesa para o condutor. 

     

    Por isso, neste conteúdo, separamos algumas dicas que vão permitir, de verdade, que você reduza o consumo de combustível do carro.

     

     

    Os principais fatores de influência no consumo de combustível

    Um bom começo é entender o que influencia, realmente, a queima de combustível. Muita gente não sabe, por exemplo, que os pneus têm muito a ver com a frequência com que você precisa parar no posto. 

     

    A dica básica é mantê-los corretamente calibrados, pois um índice de calibragem 10% abaixo do recomendado pode significar um consumo de combustível de 6 a 10% maior, conforme alertam especialistas no assunto. 

     

    Também é crucial ter atenção ao alinhamento das rodas, que deve ser feito a cada 10 mil quilômetros, e tem relação direta sobre a resistência ao rolamento dos pneus, que pesa no gasto de gasolina.

     

    Outros fatores mecânicos, que exercem forte influência, são o nível de óleo e os filtros de ar e combustível. Quando esses itens não estão devidamente revisados, pode haver uma compensação, com aumento da injeção de combustível. Defeitos nas velas, cabo de velas e bobinas também impulsionam o consumo de combustível.

     

    E o mesmo vale para o escapamento e os sistemas de arrefecimento, que precisam estar funcionando adequadamente para um consumo normal de combustível. Portanto, se você perceber que os abastecimentos se tornaram mais frequentes, ou o carro apresenta maior aquecimento e redução de potência, é hora de revisar esses componentes.

     

    E o que peso e ventilação tem a ver com isso?

    Muito se ouve falar que o uso do ar-condicionado aumenta o consumo de combustível e isso é realmente verdade. Mas, nem sempre, o recomendado é não usá-lo. Rodar com as janelas abertas, em velocidade superior a 40 Km/h, também vai gastar mais gasolina. 

     

    Isso acontece porque ventilação em excesso causa perda da aerodinâmica, aumentando o esforço do motor. Então, é recomendado usar o ar nas vias mais rápidas e desativá-lo com o carro resfriado, ou quando está próximo do destino.

     

    Evitar excesso de peso é outro excelente conselho para economizar, ou seja, livre-se de coisas desnecessárias que carregam o porta-malas, por exemplo. Menos peso para levar significa menos gasolina consumida. 

     

    Há, inclusive, um estudo do Argonne Lab, um reconhecido laboratório americano, indicando que diminuir a carga do veículo em 10%, reduz, em média, 4,6% o consumo de combustível.

     

    Outra verdade é que a qualidade do combustível interfere no consumo. Nunca use gasolina adulterada, mas deixe de lado o mito de que a categoria aditivada determina menos consumo. O papel dos aditivos tem mais a ver com eliminação de resíduos, ajudando no desempenho do motor, mas não na queima de combustível.

     

    Vale a pena rever condutas

    O seu jeito de dirigir também é determinante para o número de abastecimentos que vai se fazer necessário. Uma das grandes inverdades, nesse sentido, é acreditar que manter o ponto morto nas descidas reduz o consumo de combustível do carro. Afinal, o veículo vai continuar funcionando e, portanto, utilizando gasolina. 

     

    Outro hábito nocivo é não manter distância do veículo da frente. Essa conduta, em geral, vai aumentar a necessidade de frenagens e acelerações, exigindo mais do motor. Uma condução mais suave, com redução e aumento de velocidade progressivos, é o caminho para fazer render o tanque. 

     

    Por isso, nada também de pesar o pé nas arrancadas, ou alongar as marchas sobrecarregando o sistema de funcionamento do carro. Nas subidas e rampas, o correto é segurar o carro no freio. O controle via embreagem e acelerador aumenta o desgaste e o dispêndio de gasolina

    Agora que você está por dentro de como controlar o consumo de combustível do carro, basta seguir os conselhos e aproveitar a economia. Acompanhe o blog Dimas, temos ótimos conteúdos e dicas para você cuidar do seu automóvel.